Latest News About - Rose rosette virus

 
Show/hide duplicate news articles.
Filter by countryfromabout
<<10<12345678910>>>10
 
Show/hide duplicate news articles.
<<10<12345678910>>>10

Tools

Load latest edition

Saturday, October 21, 2017

10:31:00 AM CEST

Subscribe
RSS | MAP

Language Selection

For any category/filter, users can choose:

  1. the language of the categorized news items (e.g. fr and de to display only those news items in French and German)
  2. the language of the user interface (e.g. it for Italian)

In Top Stories, the user can display the largest clusters of news items for one language only (e.g. en shows all clusters in English)

Country Selection

Users can choose:

  1. country mentioned in the news item (articles about a country)
  2. country in which the news item was published (articles from a country)

Languages Collapse menu...Expand menu...Open help...

Select your languages

ar
az
be
bg
bs
ca
cs
da
de
el
en
eo
es
et
fa
fi
fr
ga
ha
he
hi
hr
hu
hy
id
is
it
ja
ka
km
ko
ku
lb
lo
lt
lv
mk
ml
mt
nl
no
pap
pl
ps
pt
ro
ru
rw
se
si
sk
sl
sq
sr
sv
sw
ta
th
tr
uk
ur
vi
zh
all
Show additional languagesHide additional languages

Interface:

Quotes... Extracted quotes

Adolfo Luxúria Canibal refere: «Foi com grande surpresa» External link

expresso Saturday, April 22, 2017 7:27:00 PM CEST

Adolfo Luxúria Canibal explica: «Essa fanzine tinha feito a reportagem sobre o concurso do RRV e colocava os Mão Morta como os melhores do mesmo e a sua grande revelação» «O Rui viu-me na paragem do eléctrico e veio entregar-me um exemplar da fanzine» External link

expresso Saturday, April 22, 2017 7:27:00 PM CEST

Adolfo Luxúria Canibal explica (about Em Braga): «Em 1988, os Mão Morta foram sobretudo ruptura com o que se fazia em Portugal» «Não uma ruptura intelectual, sustentada em movimentos artísticos de vanguardas passadas ou em teorias musicológicas pós-modernas, mas ruptura bruta, gratuita, crua, a sanguefrio, sem rede, quer através do som rude e saturado que exibiam, tão longe do punk e do hard-rock como dos góticos e urbano-depressivos então em voga, quer através da temática underground e descaradamente marginal e drogada que lhes povoava as canções, quer através da postura agressiva e sem freio que apresentavam ao vivo. E como era uma ruptura radical, injustificada e incompreensível, não reconduzível ao padronizado existente, não susceptível de arrumação e recuperação no já conhecido, soava a moderno e despertava curiosidade, ganhava visibilidade» External link

expresso Saturday, April 22, 2017 7:27:00 PM CEST

Joaquim Pinto explica (about Em Braga): «Braga era uma cidade pequena» External link

expresso Saturday, April 22, 2017 7:27:00 PM CEST

Adolfo Luxúria Canibal garante: «Havia quem fizesse solos com aquilo» External link

expresso Saturday, April 22, 2017 7:27:00 PM CEST

Most associated names

Daily number of articles in this category

Trend data not available for this selection.